A GRANDE SÍNTESE A REVELAÇÃO DE “SUA VOZ” RESUMO 006

gs1

 

  1. CONSTITUIÇÃO DA MATÉRIA UNIDADES MÚLTIPLAS

Comecemos, pois, por analisar o fenômeno matéria, ϒ, de um ponto de vista estático, em suas características típicas de determinada individuação da Substância e, também, de um ponto de vista dinâmico, como o devenir da corrente do transformismo da Substância, que vindo da fase ϒ regresse à fase ß. Na realidade, os dois aspectos fundem-se. O contínuo frêmito de movimento com o qual a Substância vibra, leva-a a individuar-se diversamente.

O estudo dessa construção vos revelou, na Terra, a presença de 92 elementos ou corpos simples, que vão do Hidrogênio (H) ao Urânio (U). São indivíduos químicos indecompostos em simples unidade atômica, que formam toda a vossa matéria, reagrupando-se nas unidades moleculares, organismos ainda mais complexos, produzidos pela fusão de vários sistemas atômicos (por exemplo, o sistema atômico H, na unidade molecular H2O), organizando-se afinal naquelas coletividades moleculares, verdadeiras sociedades de moléculas, que são os cristais.  É um crescendo, no organizar-se em unidades coletivas cada vez mais vastas, semelhante ao de vossa consciência individual, que se coordena na mais vasta consciência coletiva nacional e, depois, na mundial.

Continuar lendo “A GRANDE SÍNTESE A REVELAÇÃO DE “SUA VOZ” RESUMO 006”

A GRANDE SÍNTESE RESUMO 004

gs1

    1.  LEI

     

    A Lei é a ideia central do Universo, o sopro divino que o anima, governa e movimenta, tal como vossa alma, pequena centelha dessa grande luz, governa vosso corpo. O universo de matéria estelar que vedes, é como a casca, a manifestação externa, o corpo daquele princípio que reside no âmago, no centro.

    Vossa ciência, que observa e experimenta, permanece na superfície e procura encontrar esse princípio através de suas mani­festações. As poucas verdades particulares que aprendeu, são ape­nas farrapos mal remendados da grande Lei.

    Falo-vos de coisas eternas e não vos choque esta linguagem, para vós anti­cien­tífica; ela se mantém fora da psicologia que vosso atual mo­mento histórico vos proporciona. Lembrai-vos de que a verdadeira ciência toca e mergu­lha nos braços do mistério: sagrado, santo e divino. A verdadeira ci­ência é religião e prece, só pode ser verdadeira se também for fé de apóstolo e heroísmo de mártir.

    A Lei é Deus. Ele é a grande alma que está no centro do universo. Não centro espacial, mas centro de irradiação e de atra­ção. Desse centro, Ele irradia e atrai, pois Ele é tudo: o princípio e suas manifestações. Eis como Ele pode — coisa inconcebível para vós — ser realmente onipresente.

    É necessário esclarecer este conceito. Chegou o momento de retomar a ideia de que partimos, dos três aspectos do universo, para aprofundá-la.

    A esses três aspectos correspondem três modos de ser do universo.

    A estrutura ou forma (Matéria, Ação), o movimento ou vir-a-ser (Energia, Vontade)  o princí­pio ou lei (Espírito, Pensamento)

    Do primeiro modo de ser, que é (Espírito, Pensamento, Princípio ou Lei), deriva o segundo, que é (Energia, Vontade, Movimento ou vir-a-ser) e do segundo, o terceiro que é ( Matéria, Ação, Estrutura ou forma).

    A ideia pura, o primeiro modo de ser do universo, a que chamaremos espírito, pensamento, Lei, que representaremos com a letra ∝ (alfa); condensa-se e se materializa, revestindo-se com a forma de vontade, concentrando-se em energia, exteriorizando-se no movimento, segundo modo de ser que representaremos com a letra ß (beta); num terceiro tempo, passamos (em virtude de mais profunda materialização ou condensação, ou exteriorização), ao modo de ser que denominamos matéria, ação, forma, isto é, o mundo de vossa realidade exterior, representaremos com a letra ϒ (gama).

    O universo resulta constituído por uma grande onda que, de ∝, o espírito, (puro pensamento, a Lei que é Deus) caminha para um devenir contínuo, movimento feito de energia e vontade (ß) para atingir seu último termo, ϒ a matéria, a forma. Dando ao sinal ->o sentido de “vai para”, poderemos dizer: ->ß->ϒ.

    O movimento que existe no universo não é jamais um deslocamento unilateral, efetivo e definitivo, mas é a metade de um ciclo que retorna ao ponto de partida, após haver cumprido determinado devenir, uma vibração de ida e volta, completa em sua contraparte inversa e complementar.

    A esse movimento descêntrico que vimos, a expansão e a exteriorização, ->ß->ϒ. segue-se então um movimento concêntrico inverso: ϒ->ß->∝.

    Há, pois, o movimento inverso, pelo qual a matéria se desmaterializa, desagrega-se e expande-se em forma de energia, vontade, movimento; é um tornar-se, que por meio das experiências de infinitas vidas, reconstrói a consciência ou espírito. Aqui, o ponto de partida é ϒ, a matéria, e o ponto de chegada é , o espírito.

    A primeira onda refere-se à criação, à origem da matéria, à condensação das nebulosas, à formação dos sistemas planetários, do vosso sol, do vosso planeta, até à condensação máxima.

    A segunda onda, de regresso, é a que vos interessa e viveis agora, refere-se à evolução da matéria até às formas orgânicas, à origem da vida; com a vida, tem-se a conquista de uma consciência cada vez mais ampla, até a visão do Absoluto. É a fase de regresso da matéria que, por meio da ação, da luta, da dor, reencontra o espírito e volta à ideia pura, despojando-se, pouco a pouco, de todas as cascas da forma.

    Estes apontamentos projetam a solução de muitos comple­xos problemas morais. Diante da grande caminhada que seguis está escrita a palavra evolução e a ciência não pôde deixar de vê-la, mas apenas a vislumbrou nas formas orgânicas e não em toda sua imensa vastidão. Vosso ciclo poderia definir-se como um físio-dínamo-psiquismo. A fórmula é ϒ->ß->∝.

    9 . A GRANDE EQUAÇÃO DA SUBSTÂNCIA

     

    Os dois movimentos evolução e involução coexistem, portanto, con­tinuamente, no universo, em um contínuo equilíbrio de compensação. A condensação das nebulosas e a desagre­ga­ção atômica são nascimento e morte numa direção, morte e nasci­mento em outra. Nada se cria, nada se destrói, mas tudo se trans­forma. O princípio é igual ao fim.

    Mas definamos, ainda melhor, o conceito orgânico do universo, não mais considerando-o em seu aspecto dinâmico de movimento, mas em seu aspecto estático, no qual, mais que o transformismo dos três termos, ressalta sua equivalência. Em seu aspecto estático, as fórmulas tornam-se uma só fórmula, que denominaremos a “Grande Equação da Substância”, ou seja:

    (∝ ß = ϒ ) = ω  

    A letra ω  (ômega) representa o universo, o todo.

    Este é o conceito mais completo de Deus, ao qual só agora chegamos: a grande Alma do universo, centro de irradiação e de atração; Aquele que é tudo, o Princípio e suas manifestações. Eis o novo monismo que sucede ao politeísmo e ao monoteísmo das eras passadas.

    Sendo ∝, ß, ϒ, três modos de ser de ω este se encontra em todos os termos, inteiro, completo, perfeito, total, em todos os momentos. Tal é  ω em qualquer de seus modos de existência, assim o reencontraremos sempre em todo o seu infinito devenir.

    Assim, a equação da substância sintetiza o conceito da Trindade, isto é, da Divindade una e trina, que já vos foi revelado sob o véu do mistério, e encontrais nas religiões.

    A Lei, de que falamos, é o pensamento da Divindade, seu modo de ser como Espírito. O pensamento, concomitantemente vontade de ação, energia que realiza, tornar-se que cria, constitui seu segundo modo de ser, onde a criação se manifesta, nascendo daquilo a que cha­mais nada. Uma forma de matéria em ação é seu terceiro modo de ser; é a criação que existe, o universo físico que vedes. Três mo­dos de ser distintos e, no entanto, idênticamente os mesmos.

    Tudo o que vos disse é a máxima aproximação da Divin­dade que vossa mente pode suportar hoje. Ela vos diz que sois consciências que despertam, almas que regressam a Deus. É a concepção bíblica do Anjo decaído que reaparece; é a concepção evangélica do Pai, do Filho e do Espírito; é a concepção que coincide com todas as revelações do passado, também com vossa ciência e com vossa lógica; é a concepção de Cristo que, pela dor, vos redimiu.

    Não ouseis olhar a Divindade mais de perto, nem definir mais além, mas considerai-a antes como um resplendor ofuscante que não podeis olhar. Considerai cada coisa que existe e vos cerca como um raio de seu esplendor que vos toca. Não reduzais a Di­vindade a formas antropomórficas, não a restringeis em conceitos feitos à vossa imagem e semelhança. Não pronuncieis Seu Santo Nome em vão.

    Seja Deus vossa mais alta aspiração, tal como o é de toda a criação.

    Ele está, acima de tudo, dentro de Vós.

    No profundo dos caminhos do cora­ção como nos do intelecto, sempre Deus vos espera para retribuir-vos o am­plexo que vós, mesmo sendo incrédulos, em vossa agitação con­fusa e convulsiva, irresistivelmente Dele vos aproximais, pelo maior instinto da vida.

    Livro: A Grande Síntese

    http://www.ebookespirita.org/PietroUbaldi/AGrandeSintese.pdf

    Faça seu comentário e participe de nosso grupo de estudos.

A GRANDE SÍNTESE   A REVELAÇÃO DE “SUA VOZ” RESUMO 003

gs1

  1. MONISMO

Nesta exposição parto da periferia e vou para o interior; da matéria, que é a realidade de vossos sentidos, para o espírito, que contém uma realidade mais verdadeira e mais elevada; vou da superfície ao âmago, da multiplicidade fenomênica ao Princípio único que a rege. Por isso denominei este tratado de A Grande Síntese.

Estou no outro polo do ser, no extremo oposto àquele em que estais; vós, seres racionais, sois análise; eu, intuitivo (contemplação, visão), sou síntese.

Penetro, sintetizo e aperto num monismo absoluto, os imensos pormenores do mundo fenomênico,  incomensuravelmente vasto, se o multiplicais pelo infinito do tempo e do espaço; canalizo a multiplicidade dos efeitos nos caminhos convergentes que conduzem ao Princípio Único. Farei desse mundo que pode parecer caótico a vossas mentes, um organismo completo e perfeito. A isto podeis chamar de monismo.

Continuar lendo “A GRANDE SÍNTESE   A REVELAÇÃO DE “SUA VOZ” RESUMO 003”

A GRANDE SÍNTESE (Resumo 002)

gs1

  1. CONSCIÊNCIA E MEDIUNIDADE

 

Tendes meios para comunicar-vos com seres mais impor­tantes, meios de or­dem psíquica, não instrumentos mecânicos; meios psíquicos que a ciên­cia  e a vossa evolução  trarão à luz.

Pode chamar-se consciência latente uma consciência mais pro­funda que a normal, onde se encontram as causas de muitos fenô­menos inexplicáveis para vós.

Acompanhai-me, caminhando do exterior, onde estais com vossas sensa­ções e vossa psique, para o interior onde estou eu como Enti­dade e como pensamento.

No mundo da matéria, temos, primeiro, os fenômenos; de­pois, vossa percepção sensória e, finalmente, por meio de vosso sistema nervoso convergente para o sistema  cere­bral, vossa síntese psíquica: a consciência.

Continuar lendo “A GRANDE SÍNTESE (Resumo 002)”

A GRANDE SÍNTESE (Resumo 001)

gs1

  1. CIÊNCIA E RAZÃO

Aqui falo à inteligência, à razão cética, à ciência sem fé, a fim de vencê-la, superando-a com suas próprias armas. Indico-vos agora a mesma meta, mas por outros caminhos, feitos de ousadias e potência de pensamento, pois quem pede isso não saberia ver de outra forma, por faltar-lhe a fé ou incapacidade de orientação para compreender.

Em qualquer campo, a nova ideia vem sempre do Alto e é intuída pelo gênio. Depois, dela vos apo­derais, a observais, a decom­pondes, a viveis, passando, então, à vossa vida e às leis.

Vossa ciência lançou-se num beco escuro, sem saída, onde vossa mente não tem amanhã. Que vos deu o último século? Má­qui­nas como jamais o mundo as teve (mas que, no entanto, são apenas máqui­nas) e, em compensação, ressecou vossa alma. Essa ciência passou como um furacão destruidor de toda a fé e vos im­põe, com a máscara do ceti­cismo, um rosto sem alma.

Continuar lendo “A GRANDE SÍNTESE (Resumo 001)”

Carta de Monteiro Lobato a Anísio Teixeira

gs1

São Paulo, 3 de junho de 1944

Anísio,

Passou por aqui um engenheiro baiano, Nery, que muito me falou de você, e também um moço da livraria do Otales, que te levou meu abraço. Mas esta não é para nada disto – nem para comentar a entrada americana em Roma, o grande fato do dia de hoje. É para te comunicar algo muito mais importante.

Continuar lendo “Carta de Monteiro Lobato a Anísio Teixeira”

A GRANDE SÍNTESE

gs1

MENSAGEM DO ESPÍRITO EMMANUEL / CHICO XAVIER

Quando todos os valores da civilização do Ocidente desfalecem numa decadência dolorosa, é justo que saudemos uma luz como esta, que se desprende da grande voz silenciosa de A Grande Síntese.

Na mesma Itália, que vulgarizou o sacerdócio romano, eliminando as mais belas florações do sentimento cristão no mundo, em virtude do mecanismo convencional da igreja católica, aparelhos existem da grande verdade, restaurando o messianismo, no caminho sublime das revelações grandiosas da fé.

Continuar lendo “A GRANDE SÍNTESE”