A transformação evolutiva

ddi

Na transição biológica do processo evolutivo, haverá a transformação do tipo de vida da humanidade nas suas várias manifestações, como economia, política, literatura, arte, filosofia, ética, religiões, direito etc., porque mudarão a forma mental, o tipo de trabalho e as condições do ambiente.

A nova grande ocupação do homem não será conquistar para possuir, luta que já não terá razão de existir, quando for superado o estado de necessidade, mas será, pelo contrário, um trabalho dirigido à conquista de conhecimento e à formação da consciência.

Continuar lendo “A transformação evolutiva”

Revolução pela Vida

ddi

A revolução já está em ação. Uma revolução verdadeira, que é feita pela vida, acima de todas as outras feitas pelo homem por interesses ou por política.

De dentro, grita a voz de Deus: “Avante, Avante!”. A Sua mão está estendida para ajudar a humanidade a realizar o grande salto da transição evolutiva; ajudá-la a vencer as forças do mal, que lutam para sufocar este desenvolvimento e transformar a subida em descida; ajudá-la a vencer as forças do egoísmo, do cálculo e da negação, cuja vontade seria, uma vez mais, que o AS prevalecesse sobre o S.

Continuar lendo “Revolução pela Vida”

A dor é santa e sábia

ddi

O grau do nosso conhecimento é estabelecido conforme o nível de evolução alcançado pelo instrumento que possuímos para este fim, ou seja, a nossa mente. Portanto o conhecimento existe em função da evolução e progride com o aperfeiçoamento deste instrumento, na proporção dada pelo seu desenvolvimento.

O ser involuído tem horror às mudança se opõe resistência a toda renovação de ideias, apresentando uma vontade anti-esforço que busca paralisar qualquer ascensão, para ele muito incômoda.

Continuar lendo “A dor é santa e sábia”

A Humanidade em Transição Evolutiva

ddi

É inevitável que as concepções humanas sejam antropomórficas, pois foram conquistadas por um cérebro humano, como resultado das experiências vividas e, portanto, em função dos conhecimentos adquiridos no ambiente terrestre.

Não podemos, portanto, elevar as nossas construções ideais senão com este instrumento e sobre estas bases simples, dado que não possuímos outros elementos. Por esta razão, tudo o que está além destes limites encontra-se fora de nossa compreensão, não sendo concebido nem concebível.

Continuar lendo “A Humanidade em Transição Evolutiva”

A maior paixão de Cristo

ddi

 

Quando se apreciam as qualidades de um indivíduo, isto não se faz imparcialmente, mas sim em função da possibilidade de explorá-las para o serviço do grupo.

Se quisermos julgar objetivamente um indivíduo pelo que ele realmente é, devemos primeiro despojá-lo das suas atribuições exteriores, prescindindo da sua posição social e despindo-o de todos os adereços com que se cobre e se esconde, pois só assim poderá aparecer sua verdadeira pessoa, em vez dos seus sucessos sociais.

Continuar lendo “A maior paixão de Cristo”

Evangelho no mundo

ddi

O Evangelho, entendido apenas no seu aspecto negativo de sacrifício, santifica o indivíduo que o pratica, mas encoraja os desonestos em seu método de exploração. Enquanto os prejudicados não reagirem, a sua paciência funcionará como fábrica de vítimas.

As resistências das coisas velhas são imensas. Enquanto o egoísmo das vítimas, seguindo as leis do plano humano, não conseguir organizar-se para se impor ao egoísmo dos que provocam os danos, obrigando-os a respeitar os direitos de todos, haverá sempre lugar para os desonestos, com vantagem para eles e prejuízo para os demais, não se passando jamais à fase de acordo e equilíbrio, na qual se supera esse sistema. Este fato justifica e torna necessária a presença das leis e das respectivas sanções punitivas, para estabelecer uma ordem na sociedade.

Continuar lendo “Evangelho no mundo”

O saneamento do separatismo

ddi

No processo de saneamento do separatismo, os elementos separados tendem sempre mais a se reunir, até se fundirem, reconstruindo o seu estado orgânico original. Temos, pois, três fases, que representam as possíveis posições em que o homem pode se encontrar:

1) O homem isolado , que luta contra a natureza – Plenitude do método da força-violência.

2) O homem reagrupado em sociedade , que deve, portanto, lutar menos contra a natureza, mas que permanece ainda rival dos outros componentes do grupo – Desuso do método força-violência, o qual é substituído pelo método da astúcia-fraude

3) O homem integrado no estado orgânico de coletividade , que, pelo fato de haver, com o método precedente, desenvolvido a inteligência, acabou por compreender quão contra producente é o sistema astúcia-fraude e quão vantajoso é superá-lo – Adoção do método da  sinceridade-colaboração, para alcançar com menor esforço um maior bem-estar.

Continuar lendo “O saneamento do separatismo”

A Descida dos Ideais

ddi

A Descida dos Ideais aborda o problema religioso, tema importante, pois é através das religiões que se realiza na Terra a descida dos ideais, interessando à vida no seu ponto central: a evolução (a salvação, como retorno a Deus).

Para falar com Deus, não se necessita de intérpretes e tradutores. Isto constitui violação de domicílio espiritual. O indivíduo consciente rebela- se contra esta falta de respeito ao seu direito de pensar segundo a sua consciência e conhecimento, tanto mais que semelhante invasão autoritária se faz em nome de Deus.

Continuar lendo “A Descida dos Ideais”