Filho de Deus

CAPA-CIENCIA-E-REDENCAO

Irmão, chegaste até aqui, conduzido pela complacência divina. A Lei de Salvação orientou-te na aquisição das habilidades que terminaram por fazer-te despertar da irracionalidade. Superaste, em parte, a animalidade em que ainda te comprazes. No entanto, irmão, convence-te de que necessitas urgentemente caminhar ainda mais e superar os resíduos de inferioridade que teimam em devorar-te as possibilidades superiores que o Pai conferiu-te por amor.

Faz-se premente compreenderes que o passado que te habilitou na arte da sobrevivência e da luta, acendendo-te a razão e despertando a consciência de ti mesmo, acha-se contaminado pelos resquícios da queda do espírito. Por isso é carga negativa que precisa ser superada. Deixa-a à margem de tua estrada, como um fardo morto que não te é mais útil à jornada redentora de retorno à Casa do Pai. Mira o futuro, irmão, e segue a Lei, a convidar-te sem demora a penetrares nas instâncias superiores da vida, onde conhecerás as blandícias do Paraíso.

A convicção absoluta de que o bem supremo é irrefutável destinação de nosso universo servir-te-á como o necessário estímulo para que superes todas as adversidades que semeaste em tua senda evolutiva, sob o infausto signo da egolatria.

Maltrata-te, não obstante, a renúncia aos prazeres da animalidade e aos favores do ego inferiorizado, pois desconheces as genuínas alegrias da santidade. Vives ainda o tormento da consciência que não quer crescer, temerosa de perder suas parcas alegrias. Pois saiba, irmão, que venturas inimagináveis e júbilos indizíveis aguardam-te no superior reinado da santidade. E ignoras, por ora, quanta paz respira a alma que já aprendeu a abdicar de seus deleites inferiores, e dedica sua vida em prol do bem comum, desfeita no amor sem lindes.

Irmão, não atingiste a redenção final, portanto, as intempéries ainda te são benditas lições, necessárias para preparar-te um futuro de genuína bonança. A escola da dor permanece como educandário indispensável para tua secular ignorância. As vicissitudes persistem como orientação segura para teus incipientes passos, corrigindo-te os permanentes equívocos. As adversidades continuam sendo-te úteis para inibir o mal que ainda insistes em praticar. Inimigos perseguem-te à conta de eficazes instrutores, prontos a aplainar-te as arestas do inadequado comportamento. As enfermidades coíbem-te com insistência os hábitos do abuso. Trevas prosseguem obscurecendo-te os caminhos, porque não sabes ainda deambular na Luz. O mal que não desejas obstaculiza-te a felicidade, excitando-te na urgente conquista do bem genuíno. A fragilidade da carne segue limitando-te as possibilidades, porquanto não estás até então habilitado no uso das magníficas potencialidades que o Pai te confiou. E o atrito da evolução perdura na trilha do tempo, inundando-te de padecimentos, porque a Lei almeja agastar a rudeza das vestes em que ainda te abrigas, para conferir-te o traje das núpcias celestes.

Portanto, irmão, ama a dificuldade e a dor. Recebe com alegria a injúria e a adversidade. Enfrenta com paciência a procela e a sombra. Acolhe a maldade e perdoa teus oponentes. Aceita o atrito evolutivo e as limitações da carne. Estejas certo de que os males que te assediam hoje existem unicamente para apressar teus passos na aquisição do legado divino que dilapidaste.

Aprende a extrair da dor a força amiga pronta a ascender-te aos estratos superiores do espírito. Educaste na arte de saber sofrer, e então te surpreenderás com o apaziguamento de todo teu sofrimento. A dor perderá seu caráter de tormento para se transformar em afirmação de saúde e bem-estar, equilíbrio e ordem, pronta a conferir-te a bem-aventurança dos anjos.

Convence-te de que teus atos te perseguem por irresistível quesito de Lei, devolvendo-te ao campo de expressão o móvel de tuas intenções. Logo, se colhes o mal, é porque semeaste o mal. Esparge o bem, e granjearás inauditos benefícios a teu favor.

Acredita, excitarás, cada vez mais, tremendas reações da Lei se permaneceres conspurcando os tecidos sagrados de tua consciência eterna com os impropérios do desamor. Emprega, portanto, todo teu empenho na prática das virtudes evangélicas para que te faças verdadeiramente feliz e te plenifiquem os poderes celestes.

Mas cuida também, irmão, de socorrer, como podes, aqueles que insistem em permanecer na retaguarda da vil animalidade, esforçando-te para que te faças acompanhar, na ascese rumo ao Infinito, por todos quanto compartilham contigo o trânsito da vida.

Lembra-te sempre: o amor é o único e verdadeiro medicamento capaz de sanar todas as desditas que ainda te assediam na longa romagem dos milênios, de volta ao Coração paterno. Esforça-te ao máximo e serás colhido, sem demora, nas blandícias do Amor.

Faze isso, amigo, e serás agraciado com o egrégio título de Filho de Deus.

Venera, irmão, a Deus nas alturas gloriosas e festeja na Terra, entre os homens de boa vontade, a paz perene dos Céus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s