A GRANDE SÍNTESE   A REVELAÇÃO DE “SUA VOZ” RESUMO 003

gs1

  1. MONISMO

Nesta exposição parto da periferia e vou para o interior; da matéria, que é a realidade de vossos sentidos, para o espírito, que contém uma realidade mais verdadeira e mais elevada; vou da superfície ao âmago, da multiplicidade fenomênica ao Princípio único que a rege. Por isso denominei este tratado de A Grande Síntese.

Estou no outro polo do ser, no extremo oposto àquele em que estais; vós, seres racionais, sois análise; eu, intuitivo (contemplação, visão), sou síntese.

Penetro, sintetizo e aperto num monismo absoluto, os imensos pormenores do mundo fenomênico,  incomensuravelmente vasto, se o multiplicais pelo infinito do tempo e do espaço; canalizo a multiplicidade dos efeitos nos caminhos convergentes que conduzem ao Princípio Único. Farei desse mundo que pode parecer caótico a vossas mentes, um organismo completo e perfeito. A isto podeis chamar de monismo.

O conceito é este: como do politeísmo passasteis ao monoteísmo, isto é, à fé num só Deus (mas sempre antropomórfico, pois realiza uma criação fora de si), agora passais ao monismo, isto é, ao conceito de um Deus que É a criação. Do politeísmo, ao monoteísmo e ao monismo, dilata-se vossa concepção de Divindade.

A realidade, em vosso mundo, está fracionada por barrei­ras de espaço e de tempo; a unidade aparece como que pulverizada no particular; vemos o infinito fragmentar-se, dividir-se, corrom­per-se no finito, o eterno no caduco, o absoluto no relativo.

Percorreremos o caminho inverso a essa descida e reencontrare­mos aquele infinito, que jamais a razão poderia dar-vos, porque a aná­lise humana não pode percorrer a série dos efeitos através de todo o espaço, por toda a eternidade, e não dispõe daquele infi­nito, pelo qual seria mister multiplicar o finito para obter a visão do Abso­luto.

  A finalidade desta viagem é dar ao homem nova consci­ência cósmica, que o faça sentir-se não apenas indestrutível e eterno, membro de uma humanidade que abarca todos os seres do universo, mas também representa uma força e desempenha um papel importante no funcionamento orgânico do próprio universo.

Partindo de vosso cognoscível científico humano, esse caminho também atingirá conclusões de ordem prática, indi­vidual e social. A exposição das leis da vida tem como objetivo ensinar-vos nor­mas mais completas de comportamento. Sabendo olhar no abismo de vosso destino, sabereis agir cada vez com mais elevação.

Quando se fizer luz na mente, o coração se acenderá de paixão, para marchar seguindo a mente que viu.

            Ascensão é a ideia dominante. Deus é o centro.

Este Tra­tado é mais que uma grande síntese científica e filosófica: é uma revolução introduzida em vosso sistema de pesquisa, nova direção dada ao pensamento humano, para que, após este impulso, possa canalizar novo caminho de conquistas; é uma revolução que não arrasa nem nega, implantando arbítrio e desordem, mas afirma e cria, guiando-vos a uma ordem e equilíbrio cada vez mais com­pleto e complexo, para uma lei cada vez mais forte e mais justa.

Pois bem, para ajudar a nascer em vós esta nova consciência que está por surgir à luz, para estimular esta vossa transformação que está iminente, imposta pela evolução, da fase humana à fase super-humana, eu vos ensino novo método de pesquisa, praticado por via da intuição.

Indico-vos a possibilidade de nova ciência conquis­tada com o sistema dos místicos, no qual os fenômenos são pene­trados por meio de nova sensibilidade, abrindo as portas da alma, além das dos sentidos, da alma da qual vos terei ensinado todos os re­cursos insuspeitados e meios de percepção direta.

Ciência nova, conduzida pelos caminhos do amor e da elevação espiritual, é a ciência do super-homem, que está para nascer e fundará a nova civilização do terceiro milênio.

  1. ASPECTOS ESTÁTICO, DINÂMICO E MECÂNICO DO UNIVERSO

O uni­verso é a unidade que abarca tudo o que existe. Essa unidade pode ser considerada sob três aspectos: estático, dinâmico e mecânico.

            Em seu aspecto estático, a unidade-todo é considerada abstratamente seccionada em um átimo de seu eterno devenir, para que vossa atenção possa observar particularmente a estrutura, mais que o movimento.

            Em seu aspecto dinâmico a unidade-todo é considerada naquilo que verdadeiramente é: um eterno devenir. O universo é um movimento contínuo. Movimento significa trajetória; trajetó­ria significa um objetivo a atingir. Na realidade, o aspecto dinâ­mico se funde com o estático, isolamo-lo apenas para facilitar as obser­va­ções.

            O aspecto mecânico é apenas o conceito de movimento abstratamente isolado, a fim de poder analisá-lo melhor, colhendo o princípio e definindo a lei, por meio do estudo da trajetória-tipo dos movimentos fenomênicos. É o estudo da lei como forma e norma do devenir.

            Resumindo:

            O aspecto estático mostra-nos o universo em sua estrutura e forma; o aspecto dinâmico, em seu movimento e vir-a-ser; o aspecto mecânico, em seu princípio e em sua lei. Mas esses são somente aspectos, pontos de vista diferentes do mesmo fenômeno. Coexistem sempre, em toda parte, e os encontramos conexos.

Ascen­demos ao Princípio Único, à ideia central que go­verna o universo. Esse princípio, essa ideia, é ordem.

Cada fenômeno, em cada campo, tem uma trajetória própria de desenvolvimento, que não pode mu­dar, é sua lei, coordenada à lei maior; tem uma vontade de existir numa forma que o individualize e de mover-se para atingir uma meta exata, razão de sua existência; é lançado com veloci­dade e massa que inconfundivelmente o distingue entre todos os de­mais fenômenos.

Se po­deis mover-vos, agir e conseguir qualquer resultado, é porque tudo em torno de vós se move com ordem, de acordo com uma lei, e nessa lei tendes sempre confiança porque só ela vos garante a constância dos efei­tos e das reações.

Lei não inexorável, não sen­sível, mas complexa, extraordinaria­mente complexa em todo o entrelaçamento de suas repercussões; uma lei elástica, adaptável, compensadora, constru­ída com tão vasta amplitude, que abarca em seu âmbito todas as possibilidades.

Lei, sempre lei, exata nas con­sequências de qual­quer ato, férrea nas conclusões e sanções, pode­rosa, imensa, ma­tematicamente precisa em sua manifestação.

Ela é ordem e, como ordem, mais ampla e poderosa que a desordem, portanto, engloba-a e a guia para suas metas; ela é equilí­brio, mais vasto que o desequilíbrio, o qual abarca e limita num âmbito intransponível.

Equilíbrio e ordem são, também, o Bem e a Alegria. Em todos os campos, uma só é a lei.

Não confundais a ordem e a presença da Lei com um auto­matismo mecânico e um fatalismo absurdo. A ordem, vo-lo disse, não é rígida, mas apresenta espaços elásticos, contém subdivisões de desordem, imperfeição, complica-se em reações, mas perma­nece ordem e lei no conjunto, no absoluto.

Essa movimentação vos é permitida, porque necessária para que sejais livres e responsáveis no ambiente que vos cerca; possais, assim, com liberdade e responsabilidade, conquistar vossa felici­dade.

Livro: A Grande Síntese

http://www.ebookespirita.org/PietroUbaldi/AGrandeSintese.pdf

Faça seu comentário e participe de nosso grupo de estudos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s