A Evolução

ld

Como se realiza o endireitamento dos desvios e a correção dos erros, na construção da nossa individualidade?

Os seres não são iguais.

Eles encontram-se em posições diferentes. Cada um conforme sua posição comete erros diferentes e, pelo equilíbrio da Lei, recebe exatamente a reação correspondente, a mais adaptada a sua aprendizagem.

Cada movimento nosso repercute na Lei e, conforme a natureza e o tipo de vibração irradiada, movimenta aquele sistema de forças nos diferentes pontos correspondentes, gerando assim uma resposta a essa excitação, resposta feita de medida, vibração corretora dos nossos erros, a que chamamos reação da Lei.

Em outras palavras, nós estamos amarrados ao nosso passado, isto é, a qualidade dos nossos pensamentos e atos, à direção em que os movimentamos, e também amarrados à sua quantidade ou volume, e a força adquirida pela velocidade e ímpeto com que por nós eles foram lançados.

Costuma-se dizer que cada um tem sua estrela e nasce com seu destino. É dessa forma que nosso passado, tal como o quisemos viver, volta e nos prende.

Quando foi originada uma causa e, em consequência, foi movimentada uma força, é necessário exauri-la até seus últimos efeitos. Disso não se pode fugir.

Tudo o que pensamos e realizamos é criação nossa, por nós gerada, carne da nossa carne, mundo em que depois teremos de viver. Mas, sobrepondo uma outra repetição à anterior, podemos apagar aquele marco, substituindo-o por outro, isto é, adquirindo novos hábitos bons que se colocam no lugar dos velhos, destruindo más qualidades para substituí-las por boas.

Dessa maneira, podemos corrigir nossos erros. O arrependimento é bom, mas só para iniciar o novo caminho. Depois, é preciso percorrer todo este novo caminho, sem o que o arrependimento sozinho não resolve. Para corrigir o velho caminho é necessário percorrê-lo todo novamente, às avessas, em sentido contrário.

O verdadeiro objetivo da nossa existência, que é o de nos construirmos a nós mesmos, não pode ser alcançado no limitado número de experiências duma só vida. Assim, cada vida se ergue em cima da outra, como num edifício cada andar se ergue em cima do outro, que constitui o seu único apoio, sobre o qual não pode deixar de assentar-se.

Os hábitos adquiridos representam essa base que, ao nascermos neste mundo, encontramos já feita por nós mesmos no passado. A nova construção podemos fazê-la diferente: corrigindo erros; modificando, acrescentando, melhorando, porém, o trabalho novo não pode ser realizado senão em função do precedente.

Podemos representar este fenômeno também com outra imagem.

Uma avalancha é nada no começo, é apenas pequena quantidade de neve que, caindo e rolando sobre a própria neve, atrai mais neve, de modo que assim vai sempre crescendo, cada vez mais, até tornar-se terrível avalancha que tudo destrói no seu caminho.

 Assim também, nossos hábitos não são nada no começo. São só pequenos movimentos, sem importância, em que ninguém repara. Mas, caindo e rolando sobre o caminho da nossa vida, eles atraem outros movimentos, que com a repetição descem até à nossa profundidade, tornando-se hábitos e transformando-se, finalmente, na terrível avalancha dos nossos instintos, aos quais é difícil resistir.

Acontece que, com a repetição de nossos pensamentos e atos, podemos adquirir, como numa avalancha, velocidade, maior ou menor, numa direção ou noutra. E, quanto mais velocidade adquirimos, mais somos levados a continuar no mesmo sentido, sendo então mais difícil parar e corrigir o caminho, ou seja, endireitá-lo no sentido oposto.

Livro: A Lei de Deus

http://www.ebookespirita.org/PietroUbaldi/ALeideDeus.pdf

Faça seu comentário e participe de nosso grupo de estudos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s