À Procura da Felicidade (1)

ld

 O homem em busca de felicidade e a disciplina da Lei.

Temos falado da Divina Providência, da vontade de Deus, das desilusões e dos sofrimentos da vida, num quadro único em que cada coisa esta conexa a outra, e todos os fatos e problemas estão ligados entre si, revelando-nos cada vez mais a unidade do pensamento diretor central, a sabedoria e a bondade de Deus.

Todos procuram a felicidade.

Quanto mais é primitivo e ignorante o ser, tanto mais acredita na ilusão de que seja possível encontrá-la na Terra. Mas, ao mesmo tempo, ele tem de compreender que uma felicidade, ao ser atingida, não é mais felicidade. O homem se acostuma a tudo e tudo perde o valor com o hábito. A satisfação habitual  de todos os desejos acaba no enfado. Tudo vale e satisfaz enquanto há luta de conquista, esforço para realizar. Se após atingida a primeira meta, não surgisse outro desejo para alcançar resultados maiores, e com isso, um novo esforço, tudo acabaria no tédio.

Na justiça da Lei está escrito que desfrutaremos de uma satisfação em proporção à necessidade que ela vai compensar, e ao esforço que fizermos para atingi-la. Mas, quem tem e sempre teve de tudo, de tudo está farto e cansado. Isto chega até a destruir o desejo de viver e é justo que seja assim, porque se trata de uma vida inútil.

Desse modo, os mais desafortunados são os que nasceram demasiadamente ricos, sem terem conhecido necessidades ou feito esforços para aprender alguma coisa ou procurá-la; são os que não têm nada a desejar. Assim, nós mesmos somos constituídos de maneira que não nos é possível aprender e progredir, sem desejar, lutar e sofrer.

Esta é a mecânica íntima do jogo da nossa vida.

Este é o método sábio e maravilhoso que a Lei de Deus usa para impulsionar no sentido do Alto, sem constrangimento, um ser que tem de manter-se livre, porque se não o fosse, não poderia depois ser julgado responsável e levado a aceitar as consequências dos próprios atos. Nesta Lei manifesta-se também uma vontade absoluta de que a evolução se cumpra, e isto para o bem da criatura, porque a evolução é a senda da felicidade.

Assim, vai-se aprendendo cada vez mais a arte do sábio comportamento, em disciplina, ordem e obediência à Lei, até que a criatura não vá mais bater contra as duras paredes dessa Lei, livrando-se, assim, do choque da desilusão e do sofrimento. A Lei torna-se assim um extraordinário veículo para quem tiver desenvolvido a inteligência necessária ao seu controle, um veículo de sabedoria, de poder e de felicidade.

Este é o caminho lógico, justo, sem enganos, para vencer a dor e aproximarmo-nos da felicidade. Pode parecer uma maneira dura de falar, mas, tudo isto é claro, sincero e honesto. Acredita-se, porém, mais nas felicidades que o mundo promete porque, não exigindo o nosso esforço, são fáceis e cômodas. Mas, elas se desvanecem como bolha de sabão. Isto é lógico. Só os ignorantes podem acreditar que seja possível ganhar o que não foi merecido. É exatamente por isso que o mundo mais anseia, e então é justo que recolha desengano que parece traição.

De tudo isso se pode tirar uma conclusão muito importante, mesmo no terreno pratico, ou seja, que existe um meio certo para fugir à dor. Esse meio é o evoluir. Isso quer dizer que o sonho de felicidade aninhado no fundo de cada alma não se encontra ali para nunca chegar a ser satisfeito, não é um impulso traidor que tenha apenas a função cruel de nos levar ao engano.

Esse instintivo e irresistível desejo de felicidade tem um sentido sadio e verdadeiro, porque o seu escopo é o de nos empurrar para a frente, constrangendo-nos a experimentar muitas formas enganadoras de felicidade, até encontrarmos a verdadeira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s